Casamento Real

Casamento Real – Cá e Má

O casamento real de hoje é da Cá e do Má. Eles se conheceram aos treze e formam um casal apaixonante! É até clichê dizer isso mas eles realmente foram feitos um para o outro. Não são um casal convencional, e o grande dia não poderia ser diferente, tinha a cara e coração deles em cada detalhe ♥ ♥
ca-e-ma1 ca-e-ma2 ca-e-ma3 ca-e-ma4 ca-e-ma5 ca-e-ma6 ca-e-ma7 ca-e-ma8 ca-e-ma9 ca-e-ma10 ca-e-ma11ca-e-ma12 ca-e-ma13 ca-e-ma14 ca-e-ma15 ca-e-ma16 ca-e-ma17 ca-e-ma18 ca-e-ma19 ca-e-ma20 ca-e-ma21ca-e-ma22 ca-e-ma23 ca-e-ma24ca-e-ma25Fotos: Guilherme Galembeck e Tatiana Ribeiro

Vale a pena ler a história deles: como se conheceram, como foi o “SIM”, os preparativos para o grande dia e dicas valiosas não só para o casamento mas também para a vida a dois. Muito obrigada por compartilhar tudo isso conosco, Má e Cá!

“A gente sempre brinca que nossa história pode ter vários pontos chamados de início, sendo que até hoje a gente deve comemorar umas 5 datas diferentes.
Nos conhecemos aos treze, rolou um flerte e depois de um tempo rolou um desinteresse. Passamos a estudar na mesma escola (sem saber), nos tornamos melhores amigos de novo. Passamos na faculdade, conhecemos outras pessoas, nos afastamos, nos aproximamos, quase namoramos (mas eu não quis), nos afastamos de novo, nos aproximamos e namoramos (dessa vez eu quis… demorou mas quis).

Quando começamos a namorar, com 19 , já tínhamos certeza que íamos nos casar, mas ainda tinha a faculdade pra terminar e arranjar um emprego. Quando tínhamos 3 anos e 4 meses de namoro, no dia em que começamos a namorar (20), no mês que nos conhecemos (04), dez anos depois (2013), o Má me propôs em casamento da maneira mais linda de todas: com post its em um caminho que a levava a um coração formado por post its com mensagens lindas e a pergunta que teria um grande SIM como resposta!

A organização do casamento inteira fui eu quem fiz, com algumas opiniões do Má. Olhava em todos os blogs possíveis de casamento para ter ideias, unindo com o que tínhamos mais ou menos na cabeça. A ideia era fazer uma festa bem aconchegante, nada tradicional (além de ter a cerimônia religiosa, que pra nós era o mais importante), com a nossa cara (sempre tivemos uma personalidade muito fora do comum então queríamos passar isso no casório também).

Massss…. tudo que é muito diferente requer muuuuuuito trabalho (manual principalmente) ou muito dinheiro. Como a segunda opção era bem comprometida porque quem ia pagar pelo casório éramos nós mesmos, muitas das coisas da festa era feito pela noiva e seu exército de ajudantes (mãe, sogra, irmãs, tias e amigas). Quanto à grana, onde dava pra economizar eu economizava meeesmo (por exemplo meu “dia de noiva” foi em casa com minha mãe e irmãs e saiu 130,00 pra cada uma, inclusive pra mim).

Foi tudo lindo, bem mais do que eu esperava e hoje sou a pessoa mais feliz do mundo, depois do meu marido (hehehe) porque estou casada com meu melhor amigo e com o melhor amante que eu posso ter nessa vida!

Minhas maiores dicas para o dia do casório são:

Não economize nas fotos/vídeo (não fiz vídeo ma fiz um web clip que mistura fotos com pequenos momento de vídeos). Não precisa pagar o olho da cara, porque pagar caro muitas vezes não quer dizer que você vai ter as melhores fotos. Nós amamos fotos espontâneas bem tiradas (um olhar mais artístico), então nós escolhemos o trabalho de um casal de profissionais nisso. Com certeza foi nossa melhor escolha do casamento inteiro, é o que vai durar pra sempre, e te traz a emoção de novo a cada vez que você vê.

Não fiz questão de cerimonial para ajudar na organização porque adorei os preparativos (tirando a parte de querer desistir de festa umas 5 vezes por causa da $$$$…. não pelo casamento em si ou por não gostar de organizar a festa). Mas para o dia a cerimonial foi essencial.

Sinta cada momento, casa passo, cada foto. Não deixe nada passar em branco!!

Faça do jeito que vocês querem. Nada melhor do que olhar pra todos os cantos da festa e não ver nada que não tenha saído do seu coração.

Se você quer ser feliz , não se case. Mas se você quer fazer o outro feliz, aí então case-se

Beijo Cá e Má”

Deixe seu comentário

Comment validation by @

*